sábado, 28 de fevereiro de 2015

Arquitectura popular - As chaminés da Linhaceira

Embora esteja emigrado na Suiça, o Carlos Marques tem tido um papel importante na preservação da nossa memória colectiva, quer através da pintura, quer da fotografia.
Exemplo disso é a sua colecção de fotos sobre as chaminés da Linhaceira, obtida no Verão de 2012, e que lhe terá valido alguns olhares de suspeição - afinal, não são muitos os que andam por aí a fotografar telhados...
É uma série documental magnífica, de que damos neste artigo três exemplos, podendo os restantes serem vistos aqui.




sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Em busca da origem do nome Linhaceira - 1

Felizmente, desde que este projecto foi criado, muito se tem falado sobre a origem do topónimo Linhaceira, desde os Casais da Mynhaxeira, ao Porto da Linhaceira ou à Linhaxeira (todos eles variantes documentadas).
Olhemos hoje um pouco para a origem linguística da palavra. Nos dicionários não aparece, nem sequer no completíssimo "Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa", em 18 volumes.
Mas na Infopédia surge a entrada Linhó (topónimo famoso pela cadeia aí existente) com a seguinte referência: "Do baixo-latim liniolo, diminutivo de linho. Tem os derivados Linhaceira, Linhaceiros e Linho."
Na foto, a flor do linho na sua variedade de mais intenso azul (curiosamente, em conjugação com  a planta, formando as cores da ACRL e da APAEL).


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 26 de Fevereiro de 2014

Foi um dos acontecimentos do Carnaval de 2014, cujo eco na comunicação social acabaria por ajudar a publicitar o corso linhaceirense: na madrugada de 26 de Fevereiro foram roubados dois dos bonecos feitos em anos anteriores e que serviam, como habitualmente, para decorar a aldeia e chamar a atenção para o evento.
A perseguição aos larápios, que resultou na recuperação das peças, daria matéria para um filme, como nos conta a notícia de O Mirante. E acabou por fazer parte do próprio corso, conforme documenta a fotografia.



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 25 de Fevereiro de 2005

Faz hoje dez anos mas já parece há tanto tempo: no dia 25 de Fevereiro de 2005, conforme nos revela o jornal O Templário, realizou-se mais um plenário dos antigos trabalhadores da Matrena, tentando reaver as indemnizações a que tinham direito.


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 24 de Fevereiro de 2011

Faz hoje quatro anos, a ACRL, por intermédio de José Guido, apresentou na Câmara de Tomar o anteprojecto do parque desportivo e de lazer da Linhaceira. Embora andasse já entusiasmada com a vontade de fazer obra, a Direcção da colectividade estava longe de imaginar a forma como se concretizaria esse desejo três anos depois.





segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 24 de Fevereiro de 2004

Há onze anos atrás ainda não havia Porcalhada no Carnaval da Linhaceira. Mas nesse ano, lançando a semente, houve uma vacada. A Rádio Cidade de Tomar, através de Manuel Subtil, fez a reportagem e falou com o presidente da Direcção da ACR, então José Manuel Silva.


domingo, 22 de fevereiro de 2015

As Linhaceiras que há no mundo, 2 - Chave (Arouca)

Voltamos hoje a esta rubrica onde procuramos outras Linhaceiras espalhadas pelo mundo. A primeira foi uma escultura em Las Nieves, na Galiza.
Desta vez, damo-vos conta de um lugar, chamado precisamente Linhaceira, situado na freguesia de Chave, concelho de Arouca. Não conseguimos encontrar a sua localização exacta, mas existem duas deliberações da Câmara Municipal de Arouca referentes a dois pedidos de viabilidade de construção para o local, feitos pela mesma pessoa no ano de 2008. Sabemos ainda pela informação que o local terá zona urbanizável em PDM.




sábado, 21 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 20 de Fevereiro de 2003

A propósito da época da lampreia, na sua edição de 20 de Fevereiro de 2003, o jornal O Templário fez uma reportagem com os "especialistas" linhaceirenses.


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Os dias da freguesia: 23 de Fevereiro de 2001

Do jornal O Templário de 23 de Fevereiro de 2001, uma reportagem sobre a Citaves, então pertencente ao grupo Aviários de Santa Cita, nos tempos áureos em que aquela empresa abastecia de frango 10% do país.



quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 16 de Fevereiro de 2002

Em Fevereiro de 2002, na sequência de um inverno bastante chuvoso, a Estrada Nacional 358-1, principal ligação da Linhaceira à sede de concelho, teve que ser condicionada ao trânsito após o aparecimento de fissuras notórias entre Santa Cita e Matrena, conforme revelava o jornal O Templário de 16 de Fevereiro,


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: 18 de Fevereiro de 1302

A carta de povoamento de Asseiceira, a mando de D. Dinis, data de 18 de Fevereiro de 1302, 13 anos antes do foral que criou o respectivo concelho. É esta, pois, oficialmente, a data da fundação da vila mas é lícito também extrapolar que foi a partir daí que começou a ocupação do restante território que hoje constitui a freguesia por parte dos agricultores que viriam a estar na génese dos Casais da Mynhaxeira ou da Linhaceira.


Na foto, captada em 7 de Fevereiro de 2011, a partir do Falagueiro, vê-se esta aldeia em primeiro plano, seguida da Linhaceira e da Asseiceira, numa perspectiva elevada em que os vários lugares parecem surgir em continuidade uns a seguir aos outros.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

25 anos de Carnaval na Linhaceira

Enquanto não se faz um estudo mais aprofundado, aqui fica um olhar sobre os 25 anos do Carnaval da Linhaceira, "um dos carnavais mais simbólicos do país".
Simbólica também do espírito do evento é esta imagem captada em flagrante da reacção do presidente da Junta de Asseiceira (também ele vestido "a rigor") a uma das brincadeiras com o seu nome no "Carlitos Periódico", o jornal comemorativo dos 25 anos do Carnaval.

Vera e Carlos Rodrigues no corso do Carnaval da Linhaceira em 15 de Fevereiro de 2015 (foto de Nuno Garcia Lopes)

Carnaval da Linhaceira 1991

Carnaval da Linhaceira 1992

Carnaval da Linhaceira 1993

Carnaval da Linhaceira 1994

Carnaval da Linhaceira 1995

Carnaval da Linhaceira 1996

Carnaval da Linhaceira 1997

Carnaval da Linhaceira 1998

Carnaval da Linhaceira 1999

Carnaval da Linhaceira 2000

Carnaval da Linhaceira 2001

Carnaval da Linhaceira 2002

Carnaval da Linhaceira 2003

Carnaval da Linhaceira 2004

Carnaval da Linhaceira 2005

Carnaval da Linhaceira 2006

Carnaval da Linhaceira 2007

Carnaval da Linhaceira 2008

Carnaval da Linhaceira 2009

Carnaval da Linhaceira 2010

Carnaval da Linhaceira 2011

Carnaval da Linhaceira 2012

Carnaval da Linhaceira 2013

Carnaval da Linhaceira 2014

Carnaval da Linhaceira 2015

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira: Carnaval 2014

Apesar de a ameaça de chuva ter sido uma constante nos últimos anos, o corso do Carnaval da Linhaceira saiu sempre à rua sem receio. Pingos de chuva na objectiva e céu cinzento não deslustram em nada o brilho da iniciativa, como mostram as imagens, inéditas, de 2014, captadas por Nuno Garcia Lopes.




sábado, 14 de fevereiro de 2015

Os dias da Linhaceira - Carnaval 1999

Começa hoje oficialmente o Carnaval da Linhaceira. Como destaca toda a comunicação social, são 25 anos consecutivos de um evento que se tornou no ex-libris da aldeia. No concelho de Tomar, nunca um corso organizado tivera tal longevidade e, com algumas reservas, dada a impossibilidade de o confirmar com facilidade, cremos que também não em toda a região envolvente.
Em 1999, as celebrações oficiais do Entrudo linhaceirense ainda não tinham uma década, mas já mereciam destaque nos jornais: O Templário chamava mesmo à Linhaceira a "capital do Carnaval".



Vale a pena também dar uma espreitadela ao programa desse ano para matar saudades:


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A Linhaceira na imprensa: Carnaval 2015

Numa vista de olhos sobre os jornais da região publicados no final desta semana, começamos por verificar que a Linhaceira é notícia em todos na antecipação do que vai ser o Carnaval, quase sempre destacando também os 25 anos consecutivos deste evento.
Mas não deixa de ser significativo o destaque dado pelos periódicos de dois concelhos vizinhos:
No Despertar do Zêzere (de Ferreira do Zêzere), o antetítulo é mesmo daqueles que não nos pode deixar indiferentes: "Um dos carnavais mais simbólicos do país".


No Novo Almourol (de Vila Nova da Barquinha), para além de um artigo extenso sobre o evento, veja-se como o Carnaval da Linhaceira é o destaque do mês num roteiro que se estende a toda a região do Médio Tejo.




Os dias da Linhaceira: Carnaval escolar 2014

E aqui ficam mais algumas imagens do desfile de Carnaval da EB1 e do Jardim-de-Infância da Linhaceira, em 28 de Fevereiro de 2014, com fotos de Helena Marques.




Os dias da Linhaceira: Carnaval escolar 2014

Após três meses e meio dedicados à História do concelho de Asseiceira, a Biblioteca de Temas Linhaceirenses regressa ao seu formato mais "caseiro", mesmo a tempo dos dias em que a Linhaceira se veste de gala para receber as visitas.
Pois é, o Carnaval está aí à porta, e como é de tradição, são os mais pequenos os primeiros a desfilarem, no cortejo escolar que hoje mesmo terá lugar.
Por isso, recordamos aqui o desfile infantil do ano passado, com fotos de Helena Marques.



quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Cronologia histórica de Asseiceira - Da Pré-História a 1836

Com a publicação da cronologia completa dos principais acontecimentos, damos por concluída a série de artigos dedicada à História de Asseiceira, incluindo os dados mais antigos que se conhecem sobre o nosso território, mas incidindo especialmente nos 521 anos do antigo concelho.
Com esta tarefa, que se revelou muito mais complexa do que parecera à primeira vista, mas também muito mais proveitosa, a Biblioteca de Temas Linhaceirenses cumpriu uma das suas funções essenciais e colaborou activamente nas comemorações do 5º e do 7º centenário dos dois forais de Asseiceira.
Tentaremos futuramente, não só ampliar a informação referente ao período que terminou em 1836, mas também alargar esta cronologia em direcção aos dias de hoje.
Para já, fica disponível para o mundo inteiro, pela primeira vez, a síntese da História do concelho de Asseiceira, incluindo a informação possível sobre as origens de todas as principais povoações.
Este é também um índice muito prático para navegarem neste blogue a partir das hiperligações sublinhadas, sendo que a maior parte dos artigos têm também links para os temas que vão sendo abordados, tentando que os leitores possam obter o máximo de informação sobre cada assunto.
Usufruam, usem e abusem da sua leitura, que estes documentos não se gastam por serem "manuseados".

Coroa do Espírito Santo de Asseiceira, fotografada frente à igreja matriz na cerimónia comemorativa dos 700 anos do Foral de D. Dinis, 2 de Janeiro de 2015 (foto de Nuno Garcia Lopes)


ANTES DA NACIONALIDADE

Época pré-histórica - vestígios arqueológicos desde há 300 mil anos

Época romana - origem do topónimo Asseiceira e lenda de Santa Cita



SÉCULO XIII

1218 - Referência escrita mais antiga a Asseiceira

1222 - Doação de Asseiceira a Pedro Ferreiro

Meados do século XIII - Doação aos franciscanos para construção do Convento de Santa Cita

20 de Novembro de 1253 - Dispensa de fornecer homens, cavalos e armas

19 de Dezembro de 1281 - Confirmação da doação de Asseiceira à Ordem do Templo

5 de Maio de 1287 - D. Dinis proíbe aplicação de foros sobre Asseiceira

27 de Abril de 1294 - D. Dinis confirma a nomeação de juízes para Asseiceira



SÉCULO XIV

18 de Fevereiro de 1301 - Asseiceira recebe carta de privilégios e de povoamento

28 de Setembro de 1303 - Primeira referência à igreja de Santa Maria de Asseiceira

2 de Abril de 1307 - Primeira referência à vila de Asseiceira

2 de Janeiro de 1315 -Foral de D. Dinis - criação do concelho de Asseiceira

1320 - Primeira referência à paróquia de Asseiceira

5 de Maio de 1329 - Relego dos vinhos por D. Afonso IV

1360 - Referência ao templo a Santa Cita

2 de Março de 1365 - Confirmação de privilégios por D. Pedro I

1367 - Confirmação de privilégios por D. Fernando

15 de Novembro de 1370 - Referência aos oficiais e juízes do concelho

5 de Julho de 1391 - Primeira confirmação de privilégios por D. João I

22 de Julho de 1397 - Confirmação dos prédios rústicos e do "Couto"

5 de Novembro de 1398 - Segunda confirmação de privilégios por D. João I



SÉCULO XV

2 de Março de 1403 - Terceira confirmação de privilégios por D. João I

5 de Julho de 1429 - Quarta confirmação de privilégios por D. João I

22 de Julho de 1435 - Confirmação de privilégios por D. Duarte

1436 - D. Duarte liberta lavradores do concelho da jugada de pão, vinho e linho

25 de Março de 1439Confirmação de privilégios pelo infante regente D. Pedro

1439 - Queixas do procurador de Asseiceira nas Cortes de Lisboa

1440 - Confirmação do Convento de Santa Cita pelo papa Eugénio IV

10 de Novembro de 1449 - Confirmação de privilégios por D. Afonso V

14 de Julho de 1452 - Carta de D. Afonso V ao Convento de Santa Cita

16 de Dezembro de 1462 - Herdades da Beselga para Santa Maria dos Olivais

8 de Janeiro de 1463 - Outra herdade na Beselga para Santa Maria dos Olivais

19 de Janeiro de 1467 - Doação de Asseiceira a D. Pedro de Melo

1483 - Herdades da Beselga para a Ordem de Cristo

19 de Fevereiro de 1494  - Padroado da igreja de Asseiceira

28 de Agosto de 1494 - Herdades da Guerreira para Santa Maria dos Olivais

8 de Novembro de 1495 - Doação do padroado de Asseiceira a D. Pedro de Meneses

25 de Julho de 1497 - Confirmação de privilégios por D. Manuel

26 de Abril de 1499 - Segunda confirmação de privilégios por D. Manuel

5 de Novembro de 1499 - Terceira confirmação de privilégios por D. Manuel

1499 - Avaliação da igreja de Asseiceira


SÉCULO XVI

3 de Novembro de 1504 - Doação do padroado ao conde de Cantanhede

1 de Setembro de 1506 - Doação da renda das saboarias a Simão Lopes

2 de Novembro de 1514 - Foral de D. Manuel

6 de Janeiro de 1525 - Confirmação da doação de Asseiceira ao conde de Cantanhede

24 de Setembro de 1527 - Visita do escrivão do primeiro recenseamento do reino

24 de Setembro de 1527 - Data do registo da primeira referência conhecida à Mynhaxeira

24 de Setembro de 1527 - Data do registo da primeira referência conhecida à Lagoa do Grou

24 de Setembro de 1527 - Data do registo da primeira referência conhecida à Roda

12 de Outubro de 1530 - Documento mais antigo que se conhece referindo o Porto da Linhaceira

17 de Outubro de 1530 - Carta do juiz Manuel Nogueira onde refere a Linhaceira

6 de Agosto de 1542 - Confirmação de privilégios por D. João II

1544 - Data da coroa do Espírito Santo de Asseiceira

Maio de 1552 - D. João III descansa alguns dias no Convento de Santa Cita

1557 - Data existente na fonte de Santo António, em Santa Cita

1561 - Primeiro mapa de Portugal inclui a Asseiceira

Abril de 1581 - Filipe I descansa no Convento de Santa Cita

17 de Julho de 1586 - Primeira referência à Matrena

1591 - Confirmação do Foral de D. Manuel por D. Filipe I

1595 - Fabrico de vidros na Matrena

17 de Outubro de 1598 - Quezílias com a Ordem de Cristo por causa do rio Nabão


SÉCULO XVII

1605 - Engenhos e fazendas da Matrena

1620 - Quinta de Sant'Anna da Guerreira condenada pela Ordem de Cristo

15 de Outubro de 1622 - Acordo sobre o rio entre o morgado da Beselga e a Ordem de Cristo

1652 - Dados sobre o concelho de Asseiceira no "Agiológio Lusitano"

1665 - Dados sobre Santa Cita

 SÉCULO XVIII

1706 - Provável construção da ponte da Matrena

21 de Novembro de 1706 - Primeiro registo paroquial conhecido referente à Linhaceira

8 de Março de 1707 - Primeiro registo paroquial conhecido referente à Asseiceira

26 de Maio de 1707 - Dados sobre a frequência religiosa na paróquia

6 de Novembro de 1707 - Primeiro registo paroquial conhecido referente à Roda

1712 - Dados sobre o concelho de Asseiceira na "Corografia Portuguesa"

10 de Fevereiro de 1715 - Primeira referência conhecida à Perdigueira

13 de Outubro de 1715 - Primeira referência conhecida à Foz do Rio

19 de Junho de 1722 - Primeiro registo paroquial conhecido referente à Guerreira

30 de Agosto de 1722 - Registo paroquial pode ajudar nas dúvidas quanto ao nome da Linhaceira

27 de Fevereiro de 1724 - Primeira referência conhecida ao Gavião

10 de Outubro de 1725 - Primeira referência conhecida ao Falagueiro

29 de Outubro de 1730 - Primeira referência conhecida ao Casal Novo

1736 - Dados sobre o concelho de Asseiceira na "Geografia Histórica"

15 de Dezembro de 1740 - Confirmação de privilégios

18 de Junho de 1747 - Primeira referência conhecida ao Valigote

3 de Fevereiro de 1748 - Referência aos jogos antes da missa

1751 - Dados sobre o concelho de Asseiceira no "Dicionário geográfico"

8 de Julho de 1756 - Referência ao jogo da bola

1758 - Dados sobre o concelho de Asseiceira nas "Memórias paroquiais"

26 de Fevereiro de 1759 - Primeiro registo paroquial conhecido referente a Santa Cita

20 de Junho de 1766 - Confirmação da doação à Marquesa de Tancos

17 de Dezembro de 1790 - Carta de examinação do ofício de lagareiro

10 de Novembro de 1792 - Nova carta de examinação do ofício de lagareiro

10 de Março de 1782 - Benção da ermida da Quinta de Matrena

1794 - Falecimento do capitão de ordenanças da vila de Asseiceira

1798 - Dados do Recenseamento de Pina Manique


 SÉCULO XIX

27 de Novembro de 1807 - Atravessamento pelo exército espanhol (Invasões Francesas)

6 de Fevereiro de 1808 - Imposto de guerra (Invasões Francesas)

6 de Novembro de 1810 - Ocupação da vila de Asseiceira (Invasões Francesas)

16 de Novembro de 1810 - Atravessamento pelo exército francês (Invasões Francesas)

6 e 7 de Março de 1811 - Atravessamentos pelo exército francês em retirada (Invasões Francesas)

24 de Outubro de 1811 - Relato dos estragos provocados pelas Invasões Francesas

25 de Junho de 1833 - Assalto constitucionalista à vila de Asseiceira

16 de Maio de 1834 - Batalha de Asseiceira

28 de Maio de 1834 - Extinção do Convento de Santa Cita

6 de Novembro de 1836 - Extinção por decreto do concelho de Asseiceira


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

História de Asseiceira, 94 - Extinção do concelho de Asseiceira

Chegou,  por fim, em 6 de Novembro de 1836, o Decreto que extingui 498 concelhos de todo o país e que integrou depois o Código Administrativo aprovado no dia 31 de Dezembro desse ano. Por ironia do destino, o território onde se deu a vitória dos reformadores seria um dos sacrificados com as reformas administrativas do reino.
Do concelho de Asseiceira restam os paços, de que apresentamos uma foto presumivelmente de 1986, ano em que foi publicado postumamente o livro "A vila de Asseiceira e seu termo" de Amorim Rosa, em que aparece publicada.



terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

História de Asseiceira, 93 - Dados demográficos em 1836

Segundo o livro "Linhaceira e as suas escolas", de Miguel Garcia Lopes e Nuno Garcia Lopes, na década de 1831/1840 nasceram 135 crianças na Asseiceira, 70 na Roda, 59 na Linhaceira, 44 na Guerreira/Santa Cita e 25 na Cerejeira.
Mais relevante do que isso foi a evolução ocorrida nessa década por comparação com a anterior e a seguinte: só na Asseiceira o número de nascimentos se manteve estável (129, 135 e 123, respectivamente), tendo havido em todos os outros lugares uma quebra significativa dos anos vinte para os trinta: na Roda 111, 70, 108; na Linhaceira 86, 59, 70; na Guerreira/Santa Cita 66, 44, 53 e na Cerejeira 31, 25, 25.
Era este o panorama, de acordo com os dados demográficos disponíveis, quando o concelho de Asseiceira chegou à ponta final da sua existência.



Gráfico de nascimentos na freguesia de Asseiceira nas décadas de 1800 a 1860 (excerto do gráfico publicado no livro "Linhaceira e as suas escolas")



segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

História de Asseiceira, 92 - Extinção do Convento de Santa Cita

Concluída a Guerra, restaurada a carta constitucional, o trono de Portugal foi ocupado por D. Maria II, filha de D. Pedro IV. Entre as diversas medidas tomadas nessa época, inclui-se a extinção das ordens religiosas, de que resultaria ter sido extinto, logo em 28 de Maio de 1834, o convento farnciscano de Santa Cita, que foi vendido em hasta pública.


domingo, 8 de fevereiro de 2015

História de Asseiceira, 91 - Batalha de Asseiceira

A luta pelo poder entre D. Pedro IV e D. Miguel agudizou-se, redundando numa guerra civil que voltou a martirizar um povo ainda não refeito das atrocidades das invasões francesas.
Porém, mau grado todo o impacto que necessariamente teve no território asseiceirense, podemos hoje orgulhar-nos de ter sido aqui, numa área que tem como vértices Santa Cita, Asseiceira e Linhaceira e depois se prolonga para sudoeste (ver mapa abaixo), que ocorreu um dos acontecimentos de maior relevo na construção de um Portugal moderno, a batalha derradeira que deu a vitória às tropas constitucionalistas e liberais afectas a D. Pedro IV contra os absolutistas de D. Miguel.
Uma das obras que melhor abordam este assunto é o livro "A batalha de Asseiceira - Memória historico-descriptiva" de F. Sá Chaves, que teve pelo menos três edições até 1907 e que, para além de uma descrição aprofundada, inclui fotografias dos locais onde a batalha se desenrolou e um mapa do local, que publicamos graças ao generoso empréstimo por parte do Rui Garcia Simões.
A batalha de Asseiceira ocorreu no dia 16 de Maio de 1834. Podem consultar mais dados sobre este assunto na Biblioteca de Temas Linhaceirenses aqui e aqui.
As aguarelas que publicamos, do pintor Alfredo Roque Gameiro, mostram-nos uma imagem da vivência sob a autoridade de D. Miguel e do desembarque no Mindelo das tropas afectas a D. Pedro, momento que conduziria ao confronto militar.