domingo, 31 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 31 de Março de 2012

Com um serão de contos em língua portuguesa na Associação Vlaanderen-Lusitânia em Bruges, na Bélgica, terminou nesta data a primeira digressão europeia do contador de histórias linhaceirense Filipe Lopes, que passou também por Espanha, França, Itália e Suiça.

sábado, 30 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 28 de Março de 1954







No jornal Cidade de Tomar de 28 de Março de 1954 dá-se conta de pequenas obras efectuadas pelo proprietário do edifício onde funcionava o posto escolar da Cerejeira e da necessidade de construção de uma escola, o que só aconteceria em 1960.



No local, no início da subida da rua principal da Cerejeira, a caminho do Cabeço das Matas, resta hoje, ainda, um amontoado de pedras das paredes em ruínas daquele que foi o primeiro edifício escolar da localidade.


sexta-feira, 29 de março de 2013

Os dias da freguesia - 28 de Março de 1954

Há 59 anos viviamos também uma época muito chuvosa. É o que se depreende da leitura desta notícia publicada no jornal Cidade de Tomar de 28 de Março de 1954, que dá conta dos prejuízos havidos nos terrenos ribeirinhos do Nabão, então plenamente usados para a agricultura, na zona da Cerejeira e Foz do Rio.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 28 de Março de 1954


No jornal Cidade de Tomar desta data, um texto facilmente atribuível a Manuel Martins Cobra noticia a construção do largo da capela a que agora chamamos velha.

In Memória Digital de Tomar

quarta-feira, 27 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 27 de Março de 1915


Na reunião da Câmara de Tomar de 27 de Março de 1915 foi concedida autorização ao pedido feito por Manuel Antunes em nome dos habitantes de Santa Cita para que o professor António Augusto Ferreira, então a leccionar o segundo lugar na escola da Asseiceira, fosse autorizado a dar aulas naquela localidade nas horas que lhe ficam livres da escola onde está fazendo serviço.
Isto porque o professor João Manuel da Conceição, da escola de Santa Cita (na imagem), a funcionar desde 1913, falecera entretanto e aquele que fora nomeado para o seu lugar, Francisco Godinho Paixão, não tomara posse.
António Augusto Ferreira teria depois um papel preponderante na criação da primeira escola na Linhaceira.

terça-feira, 26 de março de 2013

Os dias da freguesia - 26 de Março de 1977


Deslocou-se nesta data à igreja matriz de Asseiceira a Comissão Diocesana das Novas Igrejas, com vista a analisar as obras de restauro e ampliação daquele templo, e que não seriam isentas, nos anos seguintes, de alguma polémica.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 25 de Março de 2011

Terminaram neste dia as inscrições para a XVI Caminhada da Associação Cultural e Recreativa de Linhaceira, intitulada "Caminhada à Quinta", a do Vale, e que ocorreria dois dias depois. As caminhadas promovidas pala ACRL têm sido das iniciativas de maior sucesso realizadas pela colectividade.

  

domingo, 24 de março de 2013

Os dias da Linhaceira - 24 de Março de 1913


No dia 24 de Março de 1913 a Câmara de Tomar deliberou criar uma escola mista na Linhaceira "por assim se julgar muito necessário para (…) se difundir a instrução". Embora fosse apenas o início de um longo caminho que demoraria cinco anos a concretizar-se e teria que contar com a participação activa da população local, a verdade é que esta data ganhou o valor simbólico de ter sido a primeira vez que os poderes públicos tomaram a decisão de construir uma escola nesta aldeia.
Esta deliberação, que a autarquia submetia à tutela, incluía vários estabelecimentos de ensino: "criar uma escola do sexo feminino em Alviobeira, uma escola do sexo masculino na Póvoa e uma escola mista nas Ollas, freguesia de Casais. Criar mais as escolas mistas nos lugares de Carregueiros e Linhaceira. Converter em escola mista a do sexo masculino da Madalena."


In "Linhaceira e as suas escolas", de Miguel Garcia Lopes e Nuno Garcia Lopes

1706 - Linhaceira

O documento mais antigo que encontrámos onde aparece o nome actual está no livro de
Registo de Casamentos, no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, e também disponível em microfilme no Arquivo Distrital de Santarém, e que começa em 1706. Trata-se de um matrimónio celebrado na igreja de Asseiceira, precisamente nesse ano, entre Manoel Roiz Anjo e Maria Francisca, ambos naturais da Linhaceira. Refira-se que o apelido Roiz corresponde ao actual Rodrigues. No ano seguinte, dos doze casamentos registados na paróquia, três são com intervenientes linhaceirenses, o que significa que a povoação teria já uma dimensão considerável no universo do então concelho (constituído por uma única paróquia, correspondente à actual).


In Linhaceira e as suas escolas, Miguel Garcia Lopes e Nuno Garcia Lopes, Biblioteca de Temas Linhaceirenses, Linhaceira, 2013

1527 - Mynhaxeira


O documento mais antigo que se conhece com referência à Linhaceira é o Registo das cidades, vilas e lugares que há nesta Comarca da Estremadura e dos moradores que há em cada um deles, parte do habitualmente mencionado como Numeramento de 1527-1532, primeiro recenseamento efectuado no Reino de Portugal, e de que aqui reproduzimos a transcrição na publicação Arquivo Histórico Português, em 1908.



 
Diz o documento, em linguagem actual:

Fui eu escrivão à vila da Ceiceira, que é do dito D. Jorge [de Meneses, também senhor da vila de Atalaia], e achei haver 40 vizinhos no corpo da vila. Título do seu termo: A Lagoa do Grou tem 1 vizinho. A Roda tem 16 casais em que há 17 vizinhos. A Mynhaxeira tem 15 vizinhos com seus casais. Tem de termo para a parte de Tomar meia légua, e para a parte de Punhete [Constância] tem de termo outra meia légua, e para Atalaya tem um terço de meia légua, e para Torres Novas outro tanto (da Ceiceira a Tomar será légua e um quarto, e da Ceiceira a Atalaya [uma] légua).
Parte com as vilas de Atalaya e Tomar e Torres Novas e Pai de Pele [Praia do Ribatejo]. E por assim ser o assinou o juiz, no livro que em meu poder fica. [Eu,] Jorge Fernandes o escrevi. Soma 74 vizinhos.


In "Linhaceira e as suas escolas" de Miguel Garcia Lopes e Nuno Garcia Lopes, Biblioteca de Temas Linhaceirenses, Linhaceira, 2013

Biblioteca de Temas Linhaceirenses

A Biblioteca de Temas Linhaceirenses (BTL) é um projecto de preservação e divulgação da memória colectiva criado no âmbito do Centenário das Escolas na Linhaceira e inaugurado no dia 24 de Março de 2013. Além deste blogue, foi lançado nesta data o primeiro livro do projecto: "Linhaceira e as suas escolas", de Miguel Garcia Lopes e Nuno Garcia Lopes.
A identidade gráfica da BTL foi criada por Miguel Atalaia e consiste num conjunto de pictogramas colocados sobre um livro aberto que simula igualmente o relevo local: o casario da aldeia, as igrejas, a pinheira simbolizando a natureza, as escolas e as tradições com destaque para o carnaval.

Centenário das Escolas na Linhaceira

No dia 24 de Março de 1913 a Câmara Municipal de Tomar deliberou pela primeira vez criar uma escola primária na Linhaceira. Evocando essa data, a Associação de Pais e Amigos das Escolas de Linhaceira promove entre 2013 e 2018 o Centenário das Escolas na Linhaceira, que culminará quando se cumprirem cem anos sobre a efectiva entrada em funcionamento da primeira escola (actual centro de saúde), ocorrida apenas em 1918.




O logótipo, que representa o número 100 escrito a giz sobre um quadro negro (e possui igualmente uma variação sobre fundo branco), foi desenhado por Miguel Atalaia.